Colunistas


Geraldo Bastos

Fale com Geraldo Bastos: gbastos@grupoatarde.com.br

Tendências & Mercado

Sáb, 14/01/2017 às 23:00 | Atualizado em: 15/01/2017 às 11:16

Uber ganha concorrente na Bahia

Jornalista | gbastos@grupoatarde.com.br

O aplicativo de mobilidade urbana Yet Go entra em operação a partir deste domingo, 15, em Salvador. Semelhante ao Uber, a plataforma chega ao mercado baiano, no entanto, prometendo uma série de vantagens em relação ao concorrente e aos serviços comuns de táxis, como preços até 40% menores. Além disso, o preço por quilômetro rodado é fixo, não cobra tarifa dinâmica e nem taxa de cancelamento por desistência da corrida. Outro diferencial é a promoção “Yet Go 10”. Uma vez por mês  qualquer corrida sai por R$ 10. E tem mais: além de carros comuns e de luxo, o aplicativo estará disponível também para mototáxi e táxis. Em Salvador, o APP já conta com mais de 300 motoristas aprovados. Queremos chegar  em praticamente todos os municípios baianos”, diz Alberto Souza Júnior, sócio-fundador da empresa. Ele conta que a plataforma começou a ser desenvolvida em agosto passado e recebeu investimentos de R$ 5 milhões. Em outubro começaram os cadastros. “Hoje temos mais de 6 mil profissionais aprovados e 20 mil usuários no país. Já estamos operando em 58 cidades. Até o final do mês, a previsão é chegar a 100 municípios. Este número vai dobrar até 20 de fevereiro”, afirma o executivo. Ele informou ainda que a tarifação do Yet Go é semelhante ao do Uber. A percentagem da empresa sobre o valor é 25% no carro comum e 20% no carro de luxo. O taxista paga R$ 2 por corrida. Sobre a determinação da Prefeitura em proibir este tipo de aplicativo em Salvador, Alberto é taxativo: “Estamos amparados por uma lei federal. O poder público quer proibir o que não pode proibir”.

Natulab quer crescer no sul

“Não dá para reclamar”. É desta forma que o presidente da Natulab, Wilson Borges,  resume o desempenho da companhia farmacêutica em 2016. Líder na produção de medicamentos fitoterápicos no Brasil, com 13,3% de participação, o grupo encerrou o ano passado com um faturamento de R$ 607 milhões – 30% a mais em relação a  2015, quando alcançou R$ 467 milhões. Para se ter uma ideia, o mercado brasileiro como um todo neste setor cresceu, em média,  11,5%. Já a produção saltou 8,5% – mais que o dobro do segmento no país. “Foi um ano bom, apesar do cenário econômico difícil”, diz Borges. Ele atribui o desempenho da Natulab em 2016 à melhoria dos serviços e também à contratação de profissionais “com ampla experiência no mercado farmacêutico” e que reforçaram as áreas de marketing, industrial e comercial. Para 2017, o principal desafio é ganhar mercados nas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste. Atualmente, cerca de 60% das vendas da empresa estão concentradas no Nordeste e no Norte. “Precisamos ter uma presença mais efetiva nas outras regiões”, afirma Borges. Uma das estratégias é ampliar as vendas através das grandes redes de farmácias. Fundada há 16 anos pelos irmãos Marconi Sampaio e Milton Júnior, o grupo  é controlado  hoje pela Pátria Investimentos. Seu parque fabril fica no município de Santo Antônio de Jesus. A sede do grupo, no entanto, foi transferida em setembro  para São Paulo.

Empresa terá 3 novas fábricas 

O complexo industrial da Natulab em Santo Antônio de Jesus ocupa uma área de 120 mil m² e está ganhando três novas fábricas: de cápsulas moles, de aerossol e uma outra de dermocosméticos. Já foram investidos no projeto cerca de R$ 70 milhões. Para este ano, estão previstos outros R$ 50 milhões. As novas unidades ficarão prontas no primeiro semestre do ano que vem. “São investimentos altos e que mostram o quanto a gente acredita na recuperação da economia. Estamos certos de que o país sairá desta crise muito mais forte”, afirma Wilson Borges, ex-jogador de futebol profissional e com passagens por grandes laboratórios farmacêuticos, como Pfizer, Roche e Medley. A Natulab emprega hoje quase mil pessoas, ou seja, 1% da população de Santo Antônio de Jesus. Com as novas fábricas serão gerados entre 100 a 150 novos postos de trabalho. Além disso, responde por 10% da arrecadação do município. A empresa produz medicamentos como o Seakalm – líder na categoria de calmantes naturais, com recorde de market share de 32,4% em unidades; Starfor C – 2º colocado na categoria de vitamina C, e o xarope de Guaco, líder na categoria de expectorantes fitoterápicos.

Quiosques da TIM  chegam ao metrô

O metrô de Salvador é a nova aposta da TIM para conquistar clientes e avançar no mercado soteropolitano. Neste sentido, a operadora investiu na implantação de quiosques para a venda de chips e recarga de celular nas estações do metrô da Lapa, Acesso Norte e Rodoviária. A próxima estação a ser contemplada será a do Aeroporto. Como o cliente que passa pelas plataformas é mais apressado do que o que está nas ruas ou nos shoppings, a companhia adaptou o modelo de venda para atendê-lo adequadamente. Contratou, por exemplo, vendedores dinâmicos, uma vez que o atendimento precisa ser muito mais ágil e rápido. Além disso, abriu mão da venda de celulares. “Procuramos locais com grande fluxo de pessoas para chegar perto dos consumidores, principalmente das classes C e D, e divulgar nossas promoções”, diz o diretor regional de vendas da TIM Nordeste, Daniel Moreira.

.O baiano Ney Maron de Freitas não é mais diretor vice-presidente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Renova. A decisão foi tomada durante reunião do conselho de administração da empresa realizada na última terça-feira. O diretor-presidente da Renova, Carlos Figueiredo, disse que a destituição “faz parte do processo de adequação da estrutura corporativa da companhia”. Destacou também que a “dedicação e o comprometimento Ney Maron de Freitas contribuíram para as conquistas alcançadas pela companhia nos últimos anos”.

Período

Colunista:

Coluna:

De:

Até: