Colunistas


José Raimundo Silveira

Olhar Rubro-Negro

Sex, 03/03/2017 às 18:56 | Atualizado em: 03/03/2017 às 19:01

Prova dos nove

Jornalista l olharrubronegro@gmail.com

Dois aspectos vêm pautando a maioria dos comentários relativos à campanha do Vitória em 2017. O primeiro é que o time não está apresentando um futebol convincente. O outro é que estaria vencendo a maior parte de seus confrontos muito por conta da fragilidade dos adversários. A prova dos nove está marcada. Na próxima semana, o campeão baiano começa a decidir contra o Vasco uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. É o primeiro oponente com certo renome na temporada, contra o qual será possível uma melhor análise do potencial rubro-negro.

Não que o Vasco viva seus dias mais gloriosos. Longe disso, acaba de retornar à Série A. Com seguidos rebaixamentos, cair de divisão não causa mais espanto no lado cruzmaltino. Mas ainda se trata de um dos clubes mais tradicionais brasileiros, com poderio econômico bem maior que o do Vitória, o que lhe permite ter jogadores famosos em seu elenco, alguns deles com passagens pela Seleção Brasileira. Mesmo abalado, integra o grupo das 12 maiores equipes do país (os quatro de São Paulo, os quatro do Rio de Janeiro, os dois de Minas Gerais e os dois do Rio Grande do Sul).

Diante do Vasco, teremos uma ideia melhor sobre esse Vitória que aí está. Nas grandes partidas, alguns jogadores deixam aflorar qualidades positivas que aparecem justamente nessas ocasiões. Já outros sucumbem diante das próprias limitações técnicas e mostram que deles não se deve esperar grande coisa mesmo. Claro que não provocarão uma análise definitiva, mas, certamente, os duelos em São Januário e no Barradão serão sintomáticos.

Se fosse para escolher um dos chamados 12 grandes para medir forças, o Vasco seria a melhor das opções no momento para o Leão. Primeiro, pela conjuntura, reiterando que o time da Cruz de Malta não assusta tanto, o que é melhor para o Vitória, ainda em fase de ajustes. Segundo, pelo histórico dos confrontos, que é favorável ao rubro-negro na Copa do Brasil e na Série A.

Na Copa do Brasil, Vitória e Vasco já se enfrentaram em três disputas. Na edição inicial da competição, em 1989, o Leão despachou o Bacalhau em pleno São Januário, avançando às quartas-de-final. Empatou sem gols na ida, em Feira de Santana (a Fonte Nova estava com o gramado impraticável), e ganhou por 2x1 no Rio de Janeiro (gols de Hugo e Marquinhos). E olha que o time vascaíno, apelidado de ‘Selevasco’, seria campeão brasileiro daquela temporada.

Em 2010, ano da melhor campanha leonina na Copa do Brasil (foi finalista), o Vitória voltou a eliminar os cariocas. Nas quartas-de-final, ganhou por 2x0, em Salvador, e perdeu por 3x1, em São Januário. Passou graças ao gol fora de casa, marcado pelo goleiro Viáfara.

Porém, pelas quartas-de-final de 2009, deu Vasco. O Vitória foi goleado fora, por 4x0, e apenas empatou por 1x1, no Barradão. Esse empate, inclusive, foi a única partida na história que o Vitória deixou de vencer o Vasco no Manoel Barradas.

Em 11 confrontos por competições nacionais, foram 10 triunfos rubro-negros. O Leão jamais perdeu para o Bacalhau em sua Toca. Como o sorteio determinou que a definição da vaga em 2017 será no Barradão, um bom resultado no Rio encaminharia a classificação baiana. Tudo em tese, claro.

Saudações Rubro-Negras, hoje e sempre!

Período

Colunista:

Coluna:

De:

Até: