Colunistas


Manno Góes

Coluna do Manno

Qui, 17/11/2016 às 07:11

Happy birthday

Músico l manno.goes@grupoatarde.com.br

Bem, ontem foi meu aniversário e foi um dia especialmente feliz.

Em datas comemorativas sempre aproveitamos para fazer reflexões pessoais, passear de mãos dadas com o amor através dos jardins da memória e amar ainda mais os que nos querem e fazem bem.

Entre tantos presentes e presenças, há sempre um sentimento enorme de gratidão e engrandecimento espiritual. E tem também os pedidos! Ah, os pedidos...

Quando criança, assoprávamos as velhinhas do bolo decorado – cercado por parentes e amigos que já nem temos mais – e fazíamos nossos pedidos internos, íntimos e inocentes. Já não somos mais tão crianças ou inocentes; mas ainda há um quê de esperança quando fazemos aniversário e nos deparamos com os abraços carinhosos de quem alimenta nossa alma com ternura e afeto.

No bolo, já não cabem mais as velas que representariam nossa idade.

“Faz um pedido”; assim nos ordenam, como se víssemos uma estrela cadente ou uma superlua no céu. E na ligeireza do momento de assoprar a vela e fazer o pedido, vem um mundo de opções que nos são valiosas e pedidos que gostaríamos de fazer: poderia pedir, por exemplo, pela paz mundial. Pela justiça social. Pelo engrandecimento pessoal de cada um. Pelo amor. Pelo respeito aos mais velhos e mais necessitados.

Pela sabedoria.

Poderia pedir pelo apaziguamento das manifestações emocionais impulsivas.

Pela compreensão.

Pedir pelo fim dos conflitos no Oriente Médio. Pelo fim da crise econômica mundial, que traz como consequência guerras, violência, nacionalismo, revanchismo, acusações e maldades.

Pedir pelo fim da intolerância, do preconceito, do medo e do egoísmo.

Pedir para que a gentileza vença a indiferença.

Ou pedir para que as crenças religiosas sejam ferramentas sociais poderosas que promovem o convívio, a harmonia, a paz; e não o contrário.

Poderia fechar os olhos, e com apenas um sopro suave conseguir transformar os medos em esperança, o ódio em amor e a miséria em dignidade.

Poderia pedir pela preservação do bom senso, das amizades e da felicidade.

Pedir para que em cada um de nós houvesse sempre um sorriso amoroso, um abraço sincero e uma disposição ao gesto nobre de perdoar.

Poderia pedir pelo fim da corrupção. Pelo fim das manipulações ardilosas. Pelo recomeço dos que se perderam.

Enfim; poderia pedir um montão de coisas. Mas nos ordenam que façamos apenas um pedido. Apenas um, entre tantos que gostaríamos de fazer.

Bem; imagino que Deus seja um senhor bastante ocupado, cujos desígnios somos incapazes de compreender. Não vou lhe dar tanto trabalho, pedindo o impossível.

Faz assim: basta que o Bahia suba para Série A.

Tá ótimo assim! Ficaria imensamente feliz. Eu, e uma multidão de gente!

Obrigado a todos que me felicitaram com palavras gentis e carinhosas.

Que ao apagar da velhinha do bolo, se faça a Luz!

Vamos subir!!!

BBMP!!!

Período

Colunista:

Coluna:

De:

Até: