Colunistas


Manno Góes

Coluna do Manno

Qui, 09/03/2017 às 20:25 | Atualizado em: 09/03/2017 às 20:29

Paranauê

Músico l manno.goes@grupoatarde.com.br

Anestesiado ainda pelo milagre do Barcelona diante do Paris Saint-Germain, me preparei para assistir ao duelo entre os tricolores paranaenses e baianos pela Copa do Brasil. Além do choque de realidade - não é nem justo tentar comparar, mas é inevitável perceber o abismo de qualidade que existiu entre as duas partidas -, foi bastante decepcionante constatar a fragilidade do Bahia. O time se despede, mais uma vez, cedo demais da Copa do Brasil, ao perder por 2 X 0 do Paraná, ontem, na casa do adversário.

Já está mais do que na hora do Bahia parar de ser coadjuvante nos grandes torneios nacionais e voltar a apresentar um futebol digno de sua torcida e história.

O Bahia de ontem foi o retrato de um fiasco. Especialmente no segundo tempo. Um time fechado, sem criatividade, com atacantes isolados na frente do campo sem ter quem os servisse.

Hernani, coitado, guerreiro como sempre, não podia fazer nada. Lamentável e triste participação de uma equipe que não consegue vencer fora de casa nem passar segurança quando joga.

O Paraná jogou pelo regulamento e o Bahia não teve competência suficiente para desconstruir a estratégia do adversário.

Guto Ferreira

Não sou do tipo que massacra o técnico Guto Ferreira. Ao contrário. Mas a apresentação de ontem impede até os que o admiram de defendê-lo. A sua opção de deixar Juninho de fora, além de jogar contra o desejo da torcida, prejudicou o time, que não tinha saída de bola nem conseguia organizar o jogo. Juninho fez falta. O volante foi e é um dos destaques do time, além de excelente cobrador de falta.

O campeonato baiano vem mostrando claramente que há ainda muita dificuldade e pouco padrão de jogo no Bahia.

Para todos uma coisa já é clara: ou Guto muda o Bahia, ou o Bahia muda Guto. Só não me senti pior ontem que o torcedor do PSG. Esse aí, coitado, deve estar escondido embaixo da cama até agora.

Hoje, pelo menos, tem o clássico ViVi – vice X vice – para descontrair e fazer esquecer esse jogo de hoje.

Assim fica difícil, Bahia...

#BBMP

Período

Colunista:

Coluna:

De:

Até: