Colunistas


Regina Bochicchio

Regina Bochicchio

Qua, 11/01/2017 às 08:54 | Atualizado em: 11/01/2017 às 08:55

A disputa na UPB e o destino de Quitéria

Com Yuri Silva

O dia era de registro de chapa para concorrer à Presidência da UPB, mas o que se ouvia nos corredores da entidade era o apelo de prefeitos para que Maria Quitéria (PSB) permaneça articulando bandeiras municipalistas. Gente do governo diz que o governador Rui Costa está pensando no nome dela na minirreforma, para um cargo  que tenha relação com os municípios baianos.

Provocada pela Tempo Presente, Quitéria não disse, nem des-disse:

– Articulação para atender às demandas municipalistas, independente do cargo, é algo importante. Eu estarei à disposição para atender ao governador.

2018 –  A ideia de levar Quitéria para um cargo que dialogue com os municípios não è à toa. Rui, que é mais político do que parece à primeira vista, estaria pensando nas articulações para 2018. Quer amarrar os prefeitos perto dele, pensando na reeleição.

Chapas –  Na disputa pela Presidência da UPB, as duas candidaturas previstas foram protocoladas: Eures Ribeiro (PSD), candidato de Otto Alencar (PSD), João Leão (PP) e de Rui, vai disputar com Luciano Pinheiro (PDT), apoiado por Neto e Zé Ronaldo.

Eures, inclusive, não pisou o pé lá ontem. Enviou uma secretária para cumprir o trabalho burocrático e foi fazer campanha. Reuniu-se em Juazeiro com 15 prefeitos da região e foi em Ipirá conversar com outros 12. Hoje, vai a Feira e Conquista.

Ele diz que tem apoio de mais de 250 prefeitos. Só no documento de registro de candidatura, que o estatuto exige 42 assinaturas, ele conseguiu 150.

Já Luciano diz que já arregimentou mais de 100 prefeitos. Ontem, fez o inverso do concorrente: foi à UPB e levou meia dúzia de apoiadores, para mostrar força política.

"

Esse é meu espírito: evitar qualquer tipo de racha

Rogério Rosso, deputado federal, ao comentar sobre disputa para a presidência da Câmara

"

É um nome limpo, não está em nenhuma relação citada pela Lava Jato

Nelson Marquezelli, deputado federal, ao comentar candidatura de Jovair Arantes à presidência da Câmara, adversário de Rogério Rosso

 Corrida presidencial

 A presença de Lula na abertura do 29º Encontro Estadual do MST Bahia, hoje às 11h, não é um acaso. Internamente, a direção do movimento está tratando o evento como grande ato político de lançamento da candidatura do cacique petista à corrida pela Presidência da República para 2018.

A atividade é uma articulação da EPS, tendência interna do PT ligada ao deputado federal e ex-militante sem-terra Valmir Assunção. O presidente do PT, Rui Falcão, estará presente no evento, ao lado de Jaques Wagner e Valmir.

Nomes como Leonardo Boff e figurões do MST, como João Pedro Stédile e João Paulo Rodrigues, também estarão por aqui. A ideia é que Lula circule pelo Brasil fazendo um discurso combativo a Michel Temer.

Rui deu a ideia

Rui discursou, ontem, em evento que formalizou novos consórcios de saúde para 40 municípios. E mandou recado aos prefeitos presentes: 

– O sucesso das nossas administrações  depende do quanto consigamos ser fieis ao nosso povo, deixando de lado interesses partidários e mesquinhos. 

Emendas – O governador agradeceu à bancada de baianos na Câmara Federal, que arregimentou um total de R$ 120 milhões em emendas parlamentares no Orçamento da União para a Saúde. Disse que espera que o recurso chegue logo.

Bom humor – Ao ler um dos nomes de prefeitos, o governador parou e perguntou  se estava lendo certo o nome: Thiancle. Virou para o prefeito, do municípios de Castro Alves, e perguntou:

– Você sabe porque deram esse nome?

Ao que responde o prefeito:

– Meus pais disseram que foi um filme, mas até hoje não encontrei esse filme, não. 

Rui riu. Ontem estava sério, mas Thiancle quebrou o gelo.

Período

Colunista:

Coluna:

De:

Até: