Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Fale com a Redação

Seg, 17/09/2012 às 21:30

PIB do esporte cresce 20% acima da média nacional

Ciro Campos e Almir Leite

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+

A proximidade de eventos como a Copa de 2014 e os Jogos de 2016 já faz o PIB (produto interno bruto) do esporte brasileiro crescer cerca de 20% acima da média da economia nacional. Os dados são de um levantamento divulgado nesta segunda-feira no seminário 'O futuro dos clubes brasileiros' pela Pluri Consultoria, que mostra ainda uma contradição nesse cenário. Dos R$ 4,1 trilhões do PIB brasileiro, apenas 1,6% corresponde ao esporte - setor de grande potencial de faturamento, mas que é pouco aproveitado de acordo com o estudo.

Segundo o diretor da consultoria, Fernando Ferreira, o que falta ao Brasil para melhorar essa estatística é se organizar. A tendência é de o esporte corresponder a 1,9% do PIB do Brasil depois dos Jogos de 2016 e para aproveitar o bom momento, entre as medidas indicadas estão oferecer ao público mais condições de conforto durante os eventos esportivos e investir em ações de marketing principalmente no futebol, modalidade responsável por 53% do PIB do esporte.

Um dos pontos a ser melhorado é a ocupação dos estádios. Em uma lista divulgada pelo estudo, o Brasileirão de 2011 ficou em 12º entre as principais ligas nacionais, ao perder em média de público para os campeonatos dos Estados Unidos, China e também para as segundas divisões da Alemanha e Inglaterra. "Os estádios brasileiros têm somente 40% da capacidade ocupada. O que afasta o torcedor é a qualidade dos locais", comentou Ferreira, ao enumerar que a falta de estacionamentos, a má conservação de instalações, preços altos e problemas de segurança afastam as pessoas dos estádios. Tais empecilhos se refletem na baixa participação dos clubes no PIB do esporte, apenas 7%.

comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

12/08/2014 às 17:31

Luiz Antônio não aparece para treinar no Flamengo - Foto: Divulgação l C.R. Flamengo

Luiz Antônio não aparece para treinar no Flamengo

11/08/2014 às 15:58

Polícia apura envolvimento de volante do Fla com milícia - Foto: Márcia Feitosa l Vipcomm

Polícia apura envolvimento de volante do Fla com milícia

10/07/2014 às 16:13

Fifa cobra da CBF mais investimento no futebol feminino

Durante o evento de apresentação do Mundial de Futebol...

26/05/2014 às 12:32

Seleção chega a Teresópolis e também vê protestos - Foto: Ag. Reuters

Seleção chega a Teresópolis e também vê protestos

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias