Entretenimento

Carnaval

Carnaval de Salvador está mercantilizado, diz crítico do NYT

Qua, 13/02/2013 às 18:23 | Atualizado em: 13/02/2013 às 19:02
Jon Pareles, crítico de música do jornal The New York Times, acompanhou o Carnanal baiano - Foto: Alessandro Macêdo / Divulgação Secult
Jon Pareles, crítico de música do jornal The New York Times, acompanhou o Carnanal baiano

O jornal norte-americano The New York Times publicou nesta quarta-feira, 13, uma matéria sobre o Carnaval de Salvador, que levou o título de "Marchando para a batida africana".

Assinada pelo crítico de música pop do NYT, Jon Pareles, o texto traz como eixo principal a criação do Afródromo, ideia de Carlinhos Brown para um desfile só com blocos afros e também aborda a questão dos blocos com cordas.

"O carnaval de Salvador está cada vez mais mercantilizado, anunciando a desigualdade de renda... Fãs pagam generosamente para dançarem juntos dentro da corda, com seu acesso garantido por um uniforme (abadá), enquanto a multidão de menos privilegiados fica apertada no espaço restante na rua e na calçada", descreve Pareles durante um dos trechos de sua reportagem.

O jornalista ouviu também algumas autoridades sobre a criação do Afródromo, entre elas, o governador da Bahia, Jaques Wagner, que admitiu que o circuito tradicional já está sobrecarregado. "Mas temos que ser muito, muito cuidadosos para não fazer as coisas parecerem com apartheid".

Entre os artistas entrevistados está o músico e ex-ministro Gilberto Gil, que define o atual momento do carnaval de Salvador como "uma questão ideológica, o social contra o privado, o corporativo contra o não-corporativo".

Pareles ainda comentou sobre a estrutura dos camarotes, especialmente aqueles situados no circuito Barra-Ondina. "Acima do tumulto da rua, os camarotes oferecem uma vista da sacada, no nível dos artistas sobre os trios elétricos - próximo o suficiente para fazer contato visual. Os termos classe alta e classe baixa podem tornar-se literais".

O texto completo (em inglês) pode ser lido aqui (www.nytimes.com/2013/02/13/arts/music/marching-to-an-african-beat.html?pagewanted=all).

Acessar a versão WEB