Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Fale com a Redação

Sáb, 05/09/2009 às 14:19

Justiça condena fraudadores do INSS em Araraquara

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+
Nove pessoas, três delas funcionários públicos, foram condenados por ações de improbidade administrativa após praticar fraude de documentos no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em Araraquara, no interior de São Paulo.

Segundo a Justiça Federal, o grupo agia na agência da Previdência Social de Itápolis, também no interior do Estado, forjando registros com dados falsos sobre o tempo de serviço e o valor da contribuição de segurados para concessão de aposentadorias, causando um prejuízo de mais de R$ 455 mil à autarquia.

Foram condenados os servidores públicos Ernesto Antonio Puzzi (aposentado), Izildinha Aparecida Nunes Mercaldi e Marilei Aparecida Belucci Puzzi. Além deles, Francisco Luiz Madaro, Mauro José Vieira de Figueiredo Junior, Leine Batista Dulce, Aparecida Alice Tambarussi, Orival Grano e Dagoberto Vilela.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Ernesto, Izildinha e Marilei (funcionários do INSS) se associaram a Francisco. Ernesto estava aposentado e possuía um escritório; Francisco cedia uma sala para atendimento aos "clientes" e preenchia os documentos falsos. As duas mulheres trabalhavam na agência da autarquia em Itápolis, quando procuradas, encaminhavam os segurados para o escritório de Ernesto.

Para o MPF além do crime de estelionato praticado pelos réus e apurado em sete processos criminais ainda em andamento, eles também praticaram atos de improbidade administrativa. Por isso, nessa ação, pede a condenação cível de todos.

Os segurados beneficiados com as aposentadorias alegaram que foram vítimas, no geral que não sabiam que suas aposentadorias eram irregularmente concedidas. Francisco Madaro, que preenchia os documentos, alegou que não sabia se os beneficiários trabalharam ou não; Marilei e Izildinha, funcionárias do INSS, alegaram que nada juntaram ao seu patrimônio pessoal, e nem deram prejuízo efetivo ao INSS porque todos os valores foram devolvidos de uma só vez ou em parcelamento.

Em sentença determinada no último dia 31, a juíza federal Denise Avelar, da 1ª Vara da Justiça Federal em Araraquara, considerou as provas suficientes para demonstrar o envolvimento de todos os réus e assim condená-los por improbidade administrativa.

Ernesto perdeu a aposentadoria e Izildinha perdeu a função pública. Todos vão pagar multa e não poderão contratar com o poder público pelo prazo de dez anos.
comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

18/09/2014 às 08:32

Brasil quer que ONU fiscalize direito gay - Foto: Nacho Doce l Reuters

Brasil quer que ONU fiscalize direito gay

16/09/2014 às 16:05

Brasil tem 3,4 milhões que não comem o suficiente, diz FAO - Foto: Lúcio Távora | Ag. A TARDE

Brasil tem 3,4 milhões que não comem o suficiente, diz FAO

09/07/2014 às 08:56

Ônibus são incendiados e loja saqueada em SP no fim do jogo - Foto: Reprodução | TV Record

Ônibus são incendiados e loja saqueada em SP no fim do jogo

19/09/2014 às 09:20

Valor de terras sobe 300% desde 2002

O movimento de alta no preço das commodities agrícolas na...

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias