Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Fale com a Redação

Ter, 26/06/2007 às 17:57

Brigada Palestina na Jordânia pode ajudar Abbas

Agencia Estado

Tags: Mundo

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+
O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, pediu a Israel permissão para trazer para a Cisjordânia as forças palestinas que estão na Jordânia para tentar ampliar seu controle do território, revelaram hoje funcionários israelenses. O pedido foi feito ontem durante reunião de cúpula no Egito, no qual Abbas buscou apoio para seu governo de emergência formado na Cisjordânia após o movimento radical islâmico Hamas tomar o controle da Faixa de Gaza no dia 14 depois de violentos confrontos com as forças de segurança ligadas ao movimento laico Fatah.

Segundo o jornal árabe Al-Hyat, editado em Londres, Abbas também pediu ao primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, a libertação de Marwan Barghuti. Ex-secretário-geral do Fatah na Cisjordânia, Barghuti cumpre pena de cinco prisões perpétuas em Israel. Ele foi condenado por sua participação no assassinato de cinco israelenses em ataques das Brigadas Mártires de Al-Aqsa, que ele chefiava até 2002, quando foi detido pelo Exército de Israel em Ramallah.

Durante a cúpula, Olmert anunciou que libertará 250 prisioneiros palestinos do Fatah, mas destacou que nenhum deles poderá "ter as mãos sujas de sangue" israelense. No entanto, no governo de Israel, há quem defenda a libertação de Barghuti por causa de sua ampla popularidade entre os palestinos. O ministro do Meio Ambiente e ex-subchefe do serviço secreto, Gideon Ezra, há meses pede a libertação de Barghuti para que ele possa ajudar a fortalecer o governo de Abbas. Na semana passada, o jornal Haaretz defendeu a mesma posição em um editorial.

A porta-voz de Olmert, Miri Eisin, disse hoje que o governo está avaliando o pedido de Abbas sobre o envio das Brigadas Badr (que estão na Jordânia) para a ocupada Cisjordânia. Israel quer que Abbas faça mais para refrear os militantes e está considerando fornecer armas adicionais às forças do presidente palestino. Abbas, líder do Fatah, inicialmente pensou em enviar as Brigadas Badr à Faixa de Gaza para tentar impedir que os militantes do Hamas disparassem foguetes contra Israel. Alguns dizem que as Brigadas Badr teriam menos de mil bem treinados combatentes. Outros dizem que teria mais de 2 mil militantes. Analistas dizem que as brigadas são a força mais bem treinada e equipada do Fatah, além da Guarda Presidencial de Abbas.
comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

28/10/2013 às 10:21

Homem mais alto do mundo se casa com síria - Foto: AFP

Homem mais alto do mundo se casa com síria

19/11/2014 às 10:02

Miss Honduras Mundo 2014 e irmã são encontradas mortas - Foto: Reprodução

Miss Honduras Mundo 2014 e irmã são encontradas mortas

03/11/2014 às 10:36

Policiais acusados de matar brasileiro querem anular caso - Foto: Reprodução

Policiais acusados de matar brasileiro querem anular caso

31/10/2014 às 10:35

Surfista é perseguido por tubarão na Austrália - Foto: Reprodução/Daily Mail

Surfista é perseguido por tubarão na Austrália

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias