Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Fale com a Redação

Dom, 23/09/2012 às 08:23

Russomanno aproveita vácuo eleitoral na periferia

Adriana Carranca

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+

Já escolheu candidato a prefeito? "Celso Russomanno." Nas últimas eleições votou em quem? "Na Marta, no Lula, Dilma...". Sabe quem é o candidato do PT neste ano? "O Haddad, não é?". As respostas seguiam o mesmo padrão na medida em que a reportagem avançava por Ermelino Matarazzo, Cidade Tiradentes e Guaianases, na zona leste de São Paulo, tradicional reduto petista onde o candidato do PRB segue na liderança das intenções de voto.

Russomanno tem 43% dos eleitores no extremo leste e 34% no leste da cidade, segundo a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, do dia 13, contra 17% e 15% de Fernando Haddad (PT), respectivamente. A aposta do PT era de que a candidatura de Haddad decolaria na medida em que ele se tornasse conhecido com a exposição no horário eleitoral ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a entrada da presidente Dilma Rousseff e da ex-prefeita Marta Suplicy. Não aconteceu. Haddad também está atrás em outros redutos petistas, como o extremo sul.

O PT entrou na disputa acreditando que essas "franjas", os extremos da cidade que votaram massivamente em nomes do partido nas últimas três eleições municipais e nas federais, já estavam ganhas. A escolha do acadêmico Fernando Haddad como candidato em 2012 seria estratégica para ganhar "a mancha azul" do centro expandido e a classe média. Nem uma coisa nem outra se confirmou. Na avaliação de um dirigente do partido, Haddad teve dificuldade em convencer a classe média, um eleitorado cujo poder de compra aumentou nos últimos anos e para o qual Russomanno se apresenta como o paladino da defesa do consumidor, enquanto as classes mais baixas, que historicamente votam no PT, não enxergam no acadêmico um candidato petista.

"A Marta, sim, né? Aquela era petista mesmo, vestia a camisa da periferia", diz a comerciante Adriana Pereira, de 33 anos. Historicamente petista, sobrinha de um candidato a vereador do PC do B, da coligação de Haddad, ela diz que votará em Russomanno. "O Celso (Russomanno) tem essa relação com o consumidor, vai trazer mais polícia para o bairro", acredita Adriana, citando uma das promessas do candidato do PRB, que ela diz conhecer "há muito tempo, da TV Record". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

21/07/2014 às 11:52

Campos inaugura comitê de campanha em SP com Erundina

Puxado por uma Luiza Erundina que cantava com força "um,...

18/07/2014 às 16:47

Rede SP indica apoio a Benko, Natalini e Maringoni

A Rede Sustentabilidade, grupo ligado à vice na chapa de...

11/07/2014 às 20:43

Padilha defende 'caráter democrático' da Convenção

O candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre...

07/07/2014 às 08:34

Alckmin prioriza ponto fraco da administração

No primeiro dia de campanha eleitoral oficial, ontem, o...

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias