Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Seg, 24/09/2012 às 09:00

No Rio, máquina eleitoral alimenta favoritismo de Paes

Alfredo Junqueira

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+

Com 20 partidos na coligação, 75% dos candidatos a vereador, mais da metade do tempo de TV e uma avaliação positiva que ultrapassa 50%, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), montou uma máquina eleitoral poderosa e é favorito para vencer a eleição na cidade já no primeiro turno.

 

Seu principal concorrente, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), ainda não rompeu a barreira dos 20% nas pesquisas. Sem alianças partidárias, faltam a ele recursos e estrutura. Sobram, no entanto, apoios da classe artística - como os de Caetano Veloso e Chico Buarque. Ao apresentar sua campanha como uma "Primavera Carioca", em referência ao movimento de revoltas que acontecem nos países árabes desde o ano passado, Freixo faz críticas ao que chama de política tradicional e busca uma "aliança com a sociedade".

 

Até o momento, o discurso de mudança na forma de fazer política, a atuação contra as milícias e a adesão de artistas parecem ter sensibilizado apenas o eleitorado mais instruído e com maior poder aquisitivo - concentrado na zona sul da cidade. Já a aliança entre o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e o ex-governador Anthony Garotinho (PR), que lançaram chapa com seus respectivos filhos, o deputado federal Rodrigo Maia e a estadual Clarissa Garotinho, ainda não cumpriu seu objetivo de atrair o eleitorado mais popular.

 

Áreas

 

A campanha de reeleição do prefeito se concentra basicamente na apresentação dos resultados de projetos de sua administração direcionados, principalmente, para as zonas norte e oeste do Rio - regiões mais pobres e que concentram número elevado de eleitores.

 

"O Eduardo direcionou boa parte das obras para essas regiões e montou um pacote de projetos que tem uma pegada social", explicou Renato Pereira, estrategista da campanha de Paes. "Pesquisas qualitativas mostram que ele é identificado como candidato do povão".

 

Desde o início da campanha, Freixo fez críticas à coligação de Paes: "A nossa campanha não precisa dar satisfações a 20 partidos que já lotearam a administração." Mesmo assim, foi do PSOL que surgiu um candidato a vereador suspeito.

 

Rosenberg Alves do Nascimento, o Berg Nordestino, foi citado no relatório da CPI das Milícias, presidida por Freixo, e tinha ligações com o vereador miliciano Luiz André Deco, preso ano passado. Berg foi expulso do partido, mas o episódio deu combustível para os adversários criticarem Freixo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

07/10/2012 às 20:26

Eduardo Paes agradece Dilma e Lula durante discurso

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), reeleito hoje,...

07/10/2012 às 18:48

Eduardo Paes é reeleito no Rio de Janeiro

O candidato Eduardo Paes (PMDB) venceu a disputa pela...

07/10/2012 às 18:18

Eduardo Paes lidera no Rio com 63%

Com 34,08% das seções apuradas na cidade do Rio de...

01/10/2012 às 19:28

MP-RJ vai apurar suposta compra de apoio pelo PMDB

O Ministério Público Eleitoral (MPE) do Rio decidiu abrir...

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias