Centro Norte Baiano

Da Redação Qua , 07/08/2019 às 13:13 | Atualizado em: 07/08/2019 às 13:16

Estudantes de Morro do Chapéu participam de simulados do ENEM



Em Morro do Chapéu, cerca de 250 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) Chapada Diamantina II, estão participando de simulados preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Desde segunda-feira (5), até esta quarta (7), os alunos do turno noturno testam seus conhecimentos com o objetivo de que se familiarizem com os métodos aplicados nas provas, que acontecem nos dias 3 e 10 de novembro.

Para o estudante Fernando Abreu, do curso técnico de nível médio em Meio Ambiente, os simulados dão confiança ao aluno no momento de responder as provas por completo. “Com os simulados, conseguimos treinar e nos programar para responder as questões. Isto nos permite equilibrar o tempo para concluirmos as provas, o que acaba sendo um diferencial. Com estas atividades, espero estar preparado para seguir me especializando ainda mais na minha área”.

O colega Romário Oliveira, do curso técnico de nível médio em Administração, ressaltou que a atividade proporciona uma preparação mais eficaz para o ENEM. “Conseguimos ter uma maior compreensão da avaliação porque o simulado retrata o ambiente da prova, assim como as questões que seguem o mesmo formato de cobrança. Além do simulado, ainda podemos desfrutar do projeto e-Nova Educação, que por meio de chromebooks, podemos, também, intensificar os estudos”.

A atividade, que já é realizada há quatro anos na unidade escolar, tem conseguido dar um bom suporte aos estudantes na realização das avaliações do ENEM, conforme a diretora Milena Bispo. “Utilizamos todas as regras do ENEM, tanto na forma da realização, como na apresentação das questões e do conteúdo. Eles podem conhecer mais sobre a avaliação e se preparar para o dia da aplicação delas. Todos os professores se envolvem na produção do material e ajudam no processo. Isso ajuda muito os alunos porque, às vezes, falta uma base de estudos para eles e, com o simulado, ficam mais confiantes”, ressaltou a gestora