Extremo Oeste Baiano

Claudia Lessa Qui , 05/07/2018 às 12:25 | Atualizado em: 05/07/2018 às 12:26

Produtores rurais incentivam plantio de árvores nativas no Oeste baiano



Os agricultores do Oeste da Bahia, por meio da Associação Baiana de Produtores de Algodão (ABAPA) e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA), bem como da empresa SLC Agrícola, promoveram a doação de um total de 2.850 mudas de árvores nativas para as cidades de Cocos, Correntina, Luís Eduardo Magalhães, Formosa do Rio Preto, Riachão das Neves e Wanderley. Foram disponibilizadas para as prefeituras municipais mudas de caju, lobeira, leucena e jatobá, entre outras espécies nativas da região do Cerrado.

A prefeita de Wanderley, Fernanda Sá Teles, considera que a doação das mudas representa a manutenção da parceria do município com os agricultores, por meio da ABAPA e AIBA. "Foram doadas 300 mudas para plantarmos junto às nossas nascentes e trechos do nosso Riacho Tijucuçu, continuando o projeto ambiental que teve início com o curso de proteção e recuperação de nascentes no município".

A doação das mudas, que estão sendo usadas para a arborização das praças da cidade, das margens dos rios, dos povoados e da zona rural, por meio de pessoas que têm interesse de plantar, cuidar e acompanhar o crescimento de cada espécie, também foi comentada pela secretária de Meio Ambiente de Correntina, Regina de Castro. "Fomos contemplados com mil mudas e elas vão fazer a diferença na vida dos correntinenses. Agradecemos a parceria dos agricultores por mais essa ação".

Para o gerente da unidade de produção da SLC Agrícola, Anderson Pletsch, a parceria com o setor agrícola por meio de ações diretas reforçam a relação do produtor rural com a preservação do meio ambiente. “A entrega das mudas está incorporada à missão da nossa empresa, que é líder mundial em eficiência do negócio agrícola e respeito ao planeta, de impactar positivamente as gerações futuras”.

Recuperação de nascentes

Além do incentivo ao plantio de mudas, os agricultores estão garantindo a recuperação de nascentes de rios com a capacitação de técnicos da prefeitura e da população local. O presidente da ABAPA, Júlio Cézar Busato, ressalta que a ação demonstra interação entre a produção agrícola e o meio ambiente. “Iniciamos este ano o trabalho de recuperação de nascentes de rios e um estudo recente da EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ) comprovou que os agricultores, por meio das áreas de preservação dentro das suas propriedades, são quem mais conservam a biodiversidade na Bahia e no Brasil", afirma Busato. Ainda segundo ele, também estão sendo realizados trabalhos de certificação socioambiental das propriedades e estudos para quantificar o quanto se tem de água no aquífero do Oeste da Bahia.