Metropolitana

Da Redação Sex , 09/03/2018 às 18:50 | Atualizado em: 10/03/2018 às 00:00

Secretaria da Saúde do Estado firma convênio para controle de zoonoses na RMS



A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB) firmou, nesta sexta-feira (9), um convênio de R$ 800 mil com a Associação Célula Mãe, entidade especializada em zoonoses (doenças e infecções transmitidas para o homem através dos animais). A iniciativa tem como objetivo realizar ações educativas e preventivas relacionadas ao controle populacional de cães e gatos em situação de rua na Região Metropolitana de Salvador (RMS), bem como reduzir o risco de zoonoses, como a transmissão de Leshmaniose Tegumentar e Visceral, Raiva e Esporotricoses para humanos.

O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas Boas, afirma que o plano de trabalho contempla captura, procedimento cirúrgico, medicação, pós-operatório e devolução dos animais à comunidade. “Serão, pelo menos, seis mil procedimentos no período de 12 meses”. A presidente da Associação Célula Mãe, Janaina Rios, disse que a entidade já evitou o nascimento de aproximadamente 150 mil animais em diversas localidades na RMS. “A convivência com os animais não é o problema, mas sim a proliferação descontrolada, ampliando assim o risco de transmissão de doenças”, pontuou.

Conforme o boletim epidemiológico de fevereiro de 2018, que analisa os dados de 2017, a Leishmaniose Visceral é uma doença crônica, sistêmica, caracterizada por febre de longa duração, perda de peso e anemia. Quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos. Trata-se de uma doença endêmica na Bahia, presente em 174 dos 417 municípios. No ano passado ocorreram 14 óbitos no Estado, sendo que o percentual de cura foi de 59% . Já o último caso de raiva humana transmitida por cão na Bahia ocorreu em 2004, no município de Salvador. Treze anos depois, em 2017, ocorreu outro caso em humano, desta vez provocada pela mordedura de morcego, no município de Paramirim.