Metropolitana

Da redação Seg , 17/06/2019 às 20:02 | Atualizado em: 17/06/2019 às 20:07

Detalhes técnicos da Ponte Salvador-Itaparica são apresentados a empresas nacionais e internacionais



Os detalhes técnicos relacionados à construção da Ponte Salvador-Itaparica - que compõe o Sistema Viário Oeste (SVO) - foram apresentados a chineses, italianos, espanhóis e franceses, nesta segunda-feira (17). O encontro, que aconteceu na sede da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), em Salvador, reuniu representantes de empresas interessadas e dos organismos financiadores nacionais e estrangeiros, além do vice-governador e titular da SDE, João Leão, e os secretários Walter Pinheiro (Planejamento), Bruno Dauster (Casa Civil) e Marcus Cavalcanti (Infraestrutura).

O projeto – que inclui a construção da Ponte Salvador-Itaparica – está orçado em R$ 5,34 bilhões, com aporte de R$ 1,51 bilhão do governo do Estado. Conforme João Leão, a iniciativa abrirá perspectiva para que a região diretamente impactada receba, durante a concessão, investimentos públicos e privados três vezes maiores que os recursos gastos na obra.

Ainda segundo o vice-governador, o governo do Estado garante, no projeto, um número mínimo de tráfego para a viabilidade econômica da ponte Salvador-Itaparica. “O nosso projeto é de desenvolvimento econômico para a Bahia. Esta não é uma ponte que vai servir apenas para Salvador e Itaparica, mas será um novo vetor de desenvolvimento para todo o Estado, da mesma maneira que foram o Polo Petroquímico e o Centro Industrial de Aratu, nas décadas de 70/80”. 

O gerente de Mobilidade Urbana, Portos e Aeroportos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Rafael Ferraz, falou sobre o projeto."Nós temos, na Bahia, um caso de bastante sucesso, que é o Metrô de Salvador. O projeto da ponte também foi bem feito. A expectativa é por uma concorrência boa no leilão", disse ele, para quem “a Bahia oferece segurança institucional para grandes investimentos”. 

A presença dos empresários e organismos financiadores, na opinião do secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, demonstra a importância do projeto. “Esta, talvez, seja a última reunião com interessados não apenas na construção da ponte, mas também no financiamento. Além do BNDES e da Desenbahia, estão presentes bancos e agências de fomento internacionais. Nós vamos lançar o edital, no máximo, até 30 de julho e vamos abrir o edital na Bolsa de São Paulo até o fim de setembro", afirmou. 

As empresas que tiveram representação no evento foram a Acciona (Espanha), CCCC e Concremat (China), CREC (China), Hydros Engenharia (Brasil), Salini Impregilo (Itália), OAS (Brasil) e Vinci (França). Além dos bancos BNB, BNDES,  BOCOM, Haitong, CCB e CDB e representante do Consulado da Itália.