Metropolitana

Da Redação Ter , 10/09/2019 às 11:44 | Atualizado em: 10/09/2019 às 11:58

Simões Filho sedia 1º Festival da Canção da Primavera



Vem aí o 1º Festival da Canção da Primavera (FECANP). Idealizado pela Casa de Música da Associação Cidade da Criança, o concurso musical acontece nos dias 14 e 15 de setembro, sempre a partir das 15h, em Simões Filho, com a proposta de descobrir novos talentos; valorizar a cultura local; e promover a integração entre diferentes vertentes sonoras. O evento será aberto pelo grupo NEOJIBÁ do Núcleo Centro Educacional Santo Antônio – Irmã Dulce e contará, ainda, com shows das bandas Raiz de 5 e Sertanejada.

O Festival da Canção da Primavera é uma das atrações da 11ª edição da Feira Cidade de Oportunidades – Edição Primavera, criada para saudar o início da nova estação com música, artesanato e gastronomia, com acesso gratuito à população. Além de prestar uma homenagem ao músico Agnaldo Monteiro, que integrou a primeira filarmônica de Simões Filho, o 1º FECANP abre um espaço para artistas solos e bandas apresentarem suas músicas próprias ou fazerem suas releituras para canções brasileiras.

“Este evento musical vai oferecer a comunidade um momento ímpar no entendimento da importância da música e da relação das pessoas com o espaço Cidade da Criança enquanto fomentador da cultura, transpondo o estigma de que música é para quem não tem o que fazer”, pontuou o coordenador da Casa de Música, Wellington Pereira.

Feira Cidade de Oportunidades –

A Feira Cidade de Oportunidades, que acontece na Cidade da Criança, faz parte do projeto Mercado de Oportunidades, que tem como objetivo oferecer para a comunidade de Simões Filho formações de empreendedorismo, cursos na área de artesanato, oficinas teatrais e horta vertical.

Idealizada pela instituição em parceria com outras seis entidades dos estados do Maranhão, Piauí e Bahia, o projeto traz como pauta o empreendedorismo consciente, o escoamento da produção de artesãos; o consumo sustentável; e a economia solidária no Nordeste do Brasil. Com duração de dois anos, o projeto tem apoio do Ministério Federal Alemão de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) e da ONG alemã Aktionskreis Pater Beda.