Metropolitana

Da Redação Sex , 20/09/2019 às 11:59 | Atualizado em: 20/09/2019 às 12:03

Lauro de Freitas deverá ter fórum de conselhos em defesa dos direitos das mulheres



Criação de um fórum que reúna todos os conselhos de defesa dos direitos da mulher na Região Metropolitana e implementação de uma Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) e de uma vara especializada em crimes domésticos foram alguns dos encaminhamentos aprovados na 1ª Jornada Metropolitana de Enfrentamento da Violência contra a Mulher, realizada esta semana em Lauro de Freitas. A cobrança de mais celeridade no acesso à justiça por parte de mulheres vítimas de violência foi outro tema que ocupou o centro dos debates.

De acordo com a coordenadora do Centro de Referência Lélia Gonzalez, Sulle Nascimento, a concessão de medidas protetivas demora, em média, de 30 a 60 dias, além do grande número de agressores que não foram ainda a julgamento. Sulle reafirmou, ainda, a necessidade da criação de uma rede de proteção a mulheres vítimas de violência, que reúna todos os municípios da Região Metropolitana. “Muitos municípios que participaram da jornada não tem nenhum equipamento de proteção ou acolhimento dessas mulheres vítimas de violência, daí a importância da criação da rede de proteção e da realização da jornada, que serviu para fomentar a implantação destes equipamentos nos municípios”

A major Denice Santiago, comandante da Ronda Maria da Penha, destacou a importância da jornada. “Considero a realização deste evento uma iniciativa maravilhosa, porque além dos debates, temos aqui a integração das cidades de nossa Região Metropolitana, o que faz com que essas mulheres percebam que suas dores não são tão diferentes nem tão distantes. Desta forma, podemos apoiar aquela irmã que está ali ao lado e que, talvez, não tenha um serviço ou um atendimento que a gente tenha”, avaliou.

A importância dos conselhos no acolhimento às mulheres vítimas de violência foi defendida pela presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, Cleide Resende. “Temos no conselho uma representante do Centro de Referência Lélia Gonzalez e outras de várias comunidades de nosso município. Isso cria uma conexão direta entre o conselho e as mulheres que precisam do acolhimento”.

A 1ª Jornada Metropolitana de Enfrentamento da Violência contra a Mulher foi organizada pelo Centro de Referência Lélia Gonzalez (CRLG), órgão da Secretaria de Políticas para Mulheres do município, e reuniu representantes dos poderes Executivo e Legislativo, das polícias civil e militar, do Ministério Público e da Defensoria Pública, além do CRAS, CREAS, CRANS, universidades, conselhos municipais e organizações da sociedade civil.