Metropolitana

Da Redação Seg , 02/12/2019 às 13:38 | Atualizado em: 02/12/2019 às 13:41

Tradicional cortejo cultural desfila pelas ruas de Itinga



A tradicional Lavagem do Caranguejo, em sua 36ª edição, agitou as ruas de Itinga, em Lauro de Freitas, nesse final de semana. As baianas levaram perfume da água de cheiro e cultura para as ruas, ao som dos atabaques e berimbaus. O cortejo, que partiu da Escola Valentina Silvina Santos, seguiu em direção à Praça do Caranguejo. Participaram, também, grupos culturais de maculelê, de puxada de rede e de rodas de capoeira, além da Orquestra Mirim de Percussão e grupos de dança afro-brasileira e de samba.

Integrante do cortejo das baianas há mais de dez anos, Carmem dos Santos, 57 anos, comentou sobre a lavagem. “Eu amo participar desta festa, desfilar e mostrar o quanto que nossa cultura é bonita. Sempre que eu posso, também trago a minha filha para ela já ir aprendendo a riqueza das manifestações culturais da nossa cidade. Estou aqui muito emocionada”, disse a baiana.

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, acompanhando as baianas, destacou a importância de valorizar a luta, a história e a cultura da cidade. “Esse Largo do Caranguejo é sinônimo de trabalho e muita força. É uma história que tem que ser sempre resgatada. Quero agradecer à Secretaria de Cultura e às demais secretarias municipais. Trabalhamos juntos, de forma integrada, para este evento acontecer. Quero também agradecer à família de Sr. Caranguejo e ao Pai César, por terem dado sequência a esta importante tradição. Esta é uma”.

Após o cortejo, um trio parado, na Praça do Caranguejo, foi palco para as apresentações musicais que agitaram o último dia de festa.  A 36ª Lavagem do Caranguejo, aberta no sábado, foi marcada por muita paz e alegria. O evento contou com reforço policial com apoio da Guarda Municipal, orientações de agentes de trânsito e suporte de saúde com ambulâncias para situações de emergência.

Sobre a lavagem -  A Lavagem do Largo do Caranguejo está ligada à história de Antônio Pereira Santos, homem de vida simples e muito trabalhador, que acabou se tornando uma das figuras mais conhecidas do bairro da Itinga. Ainda jovem, ele trabalhava em uma barraca no atual Largo do Caranguejo, onde vendia arroz, farinha, carne seca e caranguejo, entre outras mercadorias. Com o tempo, passou a ser chamado de Antônio Caranguejo ou de, simplesmente, ‘Seu’ Caranguejo. A barraca virou ponto de encontro do bairro. Assim surgiu o nome do largo.

Criada em 1983, a Lavagem do Largo do Caranguejo surgiu da iniciativa de moradores do bairro que integravam o Bloco Nagazumbi. Naquele ano, o bloco foi impedido de desfilar no Carnaval de Salvador e seus integrantes resolveram fazer a celebração no próprio bairro. A festa caiu no gosto popular e ganhou status de Lavagem do Caranguejo. A Associação Cultural Recreativa e Beneficente do Bairro de Itinga e Adjacências (ACREBIA) foi criada para organizar e executar a celebração.