Da Redação Sáb , 12/05/2018 às 07:49

Dia Internacional da Enfermagem: saiba a importância desse profissional



Neste 12 de maio é comemorado o dia Internacional da Enfermagem. Muitos não sabem que atividade realmente é desenvolvida por este profissional, afinal existem outras profissões na área da Enfermagem como: o Técnico e o Auxiliar. As características de cada profissão são diferentes e quem pretende trabalhar na área deve entender como elas se complementam.

A lei a lei 7.498, que aborda a regulamentação do exercício da profissão de Enfermagem, pontua as diferenças entre cada profissão, que vão desde as formações acadêmicas até as atuações e competências nas unidades de saúde. Assim, o Enfermeiro atua de forma mais ampla na área da saúde, planeja e lidera o trabalho do técnico e do auxiliar, embora também possa executar essas funções. Seguido depois pelo Técnico de Enfermagem, profissional que cuida de pacientes mais graves. Após esses vem o profissional de Auxiliar de Enfermagem, que realiza funções de menor complexidade, como, por exemplo, cuidar dos pacientes cuja situação de saúde é de baixa complexidade.

Atualmente, de acordo com os dados do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), o país conta com 492 mil Enfermeiros, 1.132.231 Técnicos de Enfermagem e 418.626 Auxiliares de Enfermagem. As remunerações variam para cada categoria. Segundo dados do Educa Mais Brasil, baseado no Ministério do Trabalho (CAGED), a média salarial de enfermeiros no Brasil é de R$ 2.948. Já para os técnicos de enfermagem, a média salarial é de R$ 1.900. Os auxiliares recebem uma remuneração média de R$ 1.500.

Confira agora as diferenças específicas de cada profissional

Enfermeiro - é necessário um curso superior, que tem duração média de cinco anos. O profissional formado qualificado tem o campo de atuação mais completo da profissão. Pode acompanhar todos os níveis de pacientes, além de poder planejar e oferecer assistência de enfermagem.

Técnico de Enfermagem - o profissional desta área precisa ter um curso de especialização, que dura em média dois anos. Assim, ele estará apto a exercer a profissão e com habilidade de cuidar de pacientes de média a alta complexidade, pode atuar em centros cirúrgicos, além do pós-operatório. Pode aplicar medicamentos, vacinas, fazer curativos, entre outros.

Auxiliar de Enfermagem - é preciso ter um curso na área, com duração média de um ano e meio. O profissional desta área tem atividades mais simples e está habilitado para atuar em setores ambulatoriais. Assim como o técnico, o auxiliar pode aplicar medicamentos, vacinas, fazer curativos e cuidar da higiene dos pacientes.

Quer realizar o sonho de trabalhar cuidando do próximo?

Muitos têm o sonho de trabalhar na área da saúde, porém os cursos para a formação são sempre muito concorridos. Além de Medicina, os cursos de graduação em Enfermagem são também bastante disputados e têm mensalidades nem sempre acessíveis. Mas você pode realizar seu sonho contando com apoio do Educa Mais Brasil. O principal programa de inclusão educacional do país oferece bolsas de estudo com descontos de até 70% para o curso de Enfermagem. Existem milhares de instituições parcerias espalhadas pelo país. As inscrições estão abertas. Para ter acesso ao benefício basta acessar o site do Educa Mais