Da Redação Qua , 16/05/2018 às 12:24 | Atualizado em: 16/05/2018 às 12:28

Desemprego é maior entre trabalhadores sem Ensino Superior



Na procura por um emprego, pessoas com diferentes realidades não têm obtido sucesso. A crise no mercado de trabalho atinge de forma desigual diferentes grupos sociais e regiões do país. Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice de desemprego no Brasil é de 11,8%, mas a taxa é maior para mulheres, jovens e pessoas com baixa escolaridade.

Os dados do IBGE mostram que os mais afetados são aqueles que têm Ensino Médio incompleto. Para esse grupo, a taxa é de 20%, contra 6,2% para os profissionais com curso superior. E o Estado onde o desemprego foi mais alto no fim de 2017 é o Amapá, seguido de Pernambuco e Alagoas. Já Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul tiveram as menores taxas.

O mercado oferece opções para pessoas com os mais variados níveis de escolaridade, mas a concorrência é grande. Os candidatos a uma vaga precisam estar dispostos a investir na educação. Quanto mais estudo, mais oportunidades no mercado de trabalho. Uma pesquisa da FGV concluiu que uma pessoa pós-graduada tem 422% a mais de chances de conseguir um emprego do que quem não se alfabetizou.

Esse impacto é perceptível em todos os níveis de escolaridade. A pesquisa também aponta uma tendência futura de que as condições de trabalho para quem possui bom nível educacional fiquem mais apertadas e competitivas, especialmente quando se trata de cargos de maior remuneração, o que alerta ainda mais para a importância dos estudos e de constante atualização.

Segundo a psicóloga e consultora de Recursos Humanos da Luandre RH Monica Roncolato, quanto mais exigente o mercado de trabalho se torna, maior a necessidade dos desempregados buscarem aprimoramento. “Sempre haverá vagas para perfis diversos, porém a tendência natural é o desenvolvimento. E o aumento da tecnologia pede que as pessoas acompanhem essa evolução para que não fiquem fora do mercado”, explica Monica.

A consultora da Luandre RH também explicou que nem todas as vagas de emprego têm o Ensino Médio como requisito. “Independentemente da formação acadêmica, existem fatores comportamentais que fazem toda a diferença em uma entrevista de emprego. Entre eles, postura, comunicação, educação e interesse na oportunidade oferecida. A postura apresentada pelo profissional no momento da entrevista pode ser o fato mais importante para a escolha do melhor candidato”, conclui Monica.

Quanto maior o seu nível de escolaridade, maiores serão as suas chances de conseguir um emprego e de competir por melhores oportunidades no mercado. Se você faz parte do grupo de pessoas que possuem o ensino médio incompleto e tem o desejo de voltar a estudar, o Educa Mais Brasil pode ajudar você. O programa educacional oferece até 50% de desconto para o EJA – Educação para Jovens e Adultos. O programa também oferta bolsas para cursos de graduação e pós-graduação. Você só precisa acessar o site do Educa Mais, selecionar a modalidade desejada e fazer sua inscrição. Não perca tempo!