Sul Baiano

Da Redação Ter , 06/02/2018 às 17:47 | Atualizado em: 06/02/2018 às 18:10

Bahia Mineração e empresas chinesas assinam acordo para viabilizar Porto Sul



A viabilização da construção do Porto Sul, na localidade de Aritaguá, no litoral norte de Ilhéus, está a passos largos. Nesta terça-feira (6), foi assinado o acordo entre a Bahia Mineração (BAMIN) e representantes de três empresas chinesas que permitirá que as instituições discutam os negócios do projeto para a formação de uma futura joint venture, aliança entre empresas para realização de atividade econômica em comum. Em dezembro passado, o Governo do Estado e a BAMIN firmaram acordo na China com o cronograma de atividades iniciais para as obras do Porto Sul, que já possui todas as licenças necessárias para início da construção. A previsão de investimento para a construção do Porto Sul é de R$ 2,7 bilhões.

O governador Rui Costa afirmou que o acordo é o segundo grande passo para viabilizar, definitivamente, a mineração, a ferrovia e o porto na Bahia. “O primeiro passo foi em Pequim, com a assinatura de um documento na presença do presidente chinês, e hoje a gente consolida esse consórcio de empresas chinesas, junto com a Bahia Mineração. Ficamos felizes porque, finalmente, chegou-se a um entendimento de composição de todos os interessados nesses três projetos, o que viabiliza os investimentos. Sempre insistimos que não existe porto sem ferrovia, nem mineração que não tenha um porto e uma ferrovia. Portanto, compartilhando os resultados desses três projetos, nós obtemos um resultado positivo para cada ator econômico e garantimos a principal obra para o desenvolvimento da Bahia para os próximos anos”.

Para o presidente da BAMIN, Eduardo Ledshaw, a parceria irá não só consolidar a construção do Porto Sul, como abrir o canal para a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) e para a mineração. “A nossa expectativa é que, este ano, a gente avance ainda mais para que, em 2019, comecemos as obras tanto do Porto Sul, como da mineração. A parceria com o Governo do Estado é fundamental. Não há outra forma de alcançar o sucesso em um projeto desse porte”.

Acordo em Pequim

Em setembro de 2017, o governador Rui Costa assinou, em Pequim, acordo com empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, para financiamento do projeto do Porto Sul, da Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) e da mina de Pedra de Ferro, localizada em Caetité-Bahia. O documento estabelece que as partes desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do Porto Sul, da Fiol e da mina, já que os três projetos estão interligados. Pelo porto será escoado, principalmente, o minério de ferro extraído pela Bahia Mineração, no município de Caetité. A previsão é que cerca de 20 milhões de toneladas ao ano de minério de ferro de alta qualidade sejam escoados pelo prazo de até 30 anos. O minério sairá de Caetité e chegará ao porto, em Ilhéus, através da FIOL, que terá extensão de 1.527 km, sendo 1.100 km no Estado da Bahia. A ferrovia terá capacidade para transportar 60 milhões de toneladas por ano.