Sul Baiano

Da Redação Sex , 05/10/2018 às 15:11 | Atualizado em: 05/10/2018 às 15:24

Novo Centro Territorial de Educação Profissional é inaugurado em Medeiros Neto



Uma nova unidade de ensino foi implantada no município Medeiros de Neto. Trata-se do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) Medeiros Neto, inaugurado nessa quinta-feira (4), pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Sediado em prédio ampliado e reformado, que passou a contar com auditório, laboratório, refeitório e cozinha, o CETEP oferta dois cursos técnicos: Agroecologia e Informática. “Este CETEP vai fortalecer a Educação em todo o território, a partir de uma oferta qualificada de cursos técnicos, inclusive voltados para a Educação do Campo em regime de alternância, no qual os estudantes passam um ciclo de dias em internato na escola e outro em atividades de campo”, destacou o secretário Walter Pinheiro.

A estudante do curso de Agroecologia, Daniela Cruz, 25, atesta que a criação de um CETEP na sua cidade aumenta as suas perspectivas para ingressar no mundo do trabalho. “Está sendo uma grande oportunidade para nós, moradores de Medeiros Neto e de cidades vizinhas porque não precisaremos mais nos deslocar quilômetros para estudar em Teixeira de Freitas. Agora, com esta capacitação, podemos nos inserir mais facilmente no mercado de trabalho. Estou muito feliz”, conta.

A professora de Introdução à Educação no Campo, Joselha Costa, do curso técnico de Agroecologia, também fala sobre a inauguração do CETEP. “Posso falar com propriedade sobre a importância da Educação Profissional na vida das pessoas, já que vim de uma Escola Agrícola. Para a região, é um ganho muito significativo, porque abre-se portas para que os moradores se insiram no mundo do trabalho com capacitação adequada, além de que a unidade está funcionando em uma localização estratégica para receber estudantes também de outros municípios do entorno”.

Originária de uma família rural, a vice-diretora do CETEP Medeiros Neto, Laene Lopes, conta que conheceu de perto as dificuldades do homem do campo. “Tem toda a logística complicada em deixar o seu município para estudar em outra cidade e as dificuldades das famílias para bancar esses custos de locomoção. Então, a escola vem para atender as necessidades de uma clientela que vive em uma região agropecuária e que, para ter oportunidades de trabalho, precisa adquirir conhecimentos técnicos e ter acesso às tecnologias. Isto sem falar que, a partir desses cursos técnicos, as pessoas passam a ter uma relação mais responsável com os recursos naturais”, declara a gestora. localização estratégica para receber estudantes também de outros municípios do entorno”.