Sul Baiano

Da Redação Qui , 14/11/2019 às 12:59 | Atualizado em: 14/11/2019 às 13:27

Estado delibera ações conjuntas para enfrentamento das manchas de óleo



Os prefeitos dos municípios baianos do Baixo Sul, Litoral Sul, da Costa do Descobrimento e do Extremo Sul foram recebidos pelo secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, na quarta-feira (13). A agenda foi resultado de uma demanda de ações conjuntas para o enfrentamento ao derramamento de petróleo que atinge cidades dessas regiões pelas manchas de óleo que chegaram ao litoral baiano desde o dia 3 de outubro.

O documento entregue pelas representações municipais será encaminhado ao gabinete do governador Rui Costa. Entre as reivindicações apresentadas, além do fornecimento dos itens de proteção e manutenção de equipes de coleta, bem como recolhimento e destinação dos resíduos, está a realização de uma campanha de publicidade para esclarecimentos à população sobre a balneabilidade das praias e qualidade do pescado. Em relação a estas demandas, conforme os gestores, as análises químicas realizadas pela equipe técnica do INEMA não constataram contaminação das praias atingidas e a Bahia Pesca está realizando a análise do pescado com uma ampla amostragem em todo litoral baiano.

Além da diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), Márcia Telles, do secretário de Agricultura, Lucas Costa, e do Procurador Chefe do Estado, Paulo Moreno, participaram da reunião representantes da Associação dos Municípios (AMURC) e dos Consórcios Públicos Municipais (CIAPRA). Movidos pelas incertezas sobre origem, autoria e quantidade do petróleo derramado, eles apresentaram uma pauta ao Estado, tendo em vista os impactos ambientais, sociais e econômicos provocados.

"A atuação conjunta – Estado e municípios – é fundamental para atravessarmos este momento de crise. Apesar da ineficiência do governo federal, que até então não destinou nenhum recurso para apoio aos nove estados, 125 municípios e 321 localidades atingidas, o Governo da Bahia não está inerte neste processo. Pelo contrário, desde quando a primeira mancha de óleo chegou ao Litoral Norte deflagramos um comando unificado para aglutinar esforços conjuntos visando a mitigação dos danos", afirmou o secretário João Carlos.

A diretora do INEMA, Márcia Telles, destacou que, até o momento, o governo estadual distribuiu mais de 18 mil itens de proteção para a limpeza do óleo nas praias dos municípios, com uma atuação in loco da Defesa Civil do Estado e das unidades regionais do instituto. Ainda segundo ela, foi finalizado o processo de contratação emergencial da empresa que fará o recolhimento e destinação final dos resíduos coletados. "A nossa expectativa é recolher cerca de 800 toneladas de resíduos em todos os municípios e estamos dando todas as orientações técnicas necessárias para o recolhimento, o acondicionamento e a atuação em caso de animais oleados", explicou a gestora.