Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Fale com a Redação

Qua , 17/10/2012 às 22:11 | Atualizado em: 18/10/2012 às 00:00

Ufba cumprirá Lei de Cotas na íntegra em 2014

Davi Lemos

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+
  • Margarida Neide | Agência A TARDE

    Campus de Ondina - UFBA

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) vai atender  à reserva de 50% das vagas para alunos egressos do ensino público em 2014. Ela se adequa ao cumprimento da chamada Lei de Cotas antes do prazo legal que é de quatro anos.  A lei foi regulamentada pela presidente Dilma Rousseff no último dia 11.
Hoje a Ufba e também a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) destinam 45% de suas vagas para cotistas. A Ufba oferece um total de 7.991 vagas e a UFRB 2.150.

A UFRB não definiu prazo, mas adiantou que um projeto de resolução será implementado em curto prazo. "Vamos nos adequar  nos próximos meses. Mas isto para nós não representará mudança muito grande, pois já temos implantadas as cotas", disse a coordenadora de planejamento da pró-reitoria de graduação da UFRB, Janete dos Santos.

Metade das vagas reservadas para os cotistas, que devem ser provenientes de escolas públicas, será destinada a candidatos que tenham renda familiar per capita inferior a 1,5 salário mínimo.  Quem estudou com bolsa em escola particular não tem direito à reserva de vagas.

Outra alteração é referente ao número de vagas destinadas a pretos, pardos e indígenas. Até então a Ufba reservava 85% das vagas do sistema de cotas para pardos e pretos. Os indígenas concorriam separadamente a 2%. Agora os que se declararem pertencentes a estas três grupos étnicos concorrerão em um mesmo universo. O  percentual das vagas reservadas para este grupo é de 87%.

Outra mudança ocorre quanto à exigência de séries cursadas em escolas públicas. Antes a Ufba exigia que pelo menos uma das séries do nível fundamental fosse cursadas em escola pública. Isto não é mais necessário, segundo a nova lei.

Permanência - O ministro da Educação Aloízio Mercadante indicou que os alunos que ingressarem pelas cotas terão auxílio pedagógico para permanecer nas instituições de ensino. Mercadante pretende conversar com os reitores para definir  como funcionarão os cursos de apoio.

O pró-reitor de graduação da Ufba, Ricardo Miranda, diz  que a preocupação do ministro é mais direcionada a universidades que ainda não possuem o sistema de cotas. "Claro que na Ufba será necessário ampliar a assistência estudantil", completou.

 

A diretora de combate ao racismo do Diretório Central dos Estudantes (DCE/Ufba), Danielle Ferreira, diz que os  cotistas ainda são vítimas de preconceito. "Eles continuam a ser  vistos como menos capacitados", acrescentou.

comentários(0)
  • comentar

    Esqueceu sua senha?

    Digite aqui seu e-mail

    Esqueceu seu login e/ou senha?

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

outras notícias

29/03/2014 às 11:12

Após morte de colega, alunos da Ufba cobram segurança

21/03/2014 às 19:20

Secretaria oferece 21 mil vagas para pré-vestibular gratuito

24/04/2014 às 11:13

Aberto prazo para instituições de ensino aderirem ao ProUni

15/04/2014 às 10:24

Enem pode ser aplicado nos dias 8 e 9 de novembro

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deve ser aplicado...

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias