Centro Sul Baiano

Claudia Lessa Sáb , 27/07/2019 às 11:08 | Atualizado em: 27/07/2019 às 11:38

Comunidade quilombola de Livramento inaugura espaço para artesanato



A Comunidade Quilombola da Rocinha, localizada na zona rural de Livramento de Nossa Senhora, foi contemplada com a Loja de Artesanato Nair de Castro Meira, que tem à frente cerca de 30 mulheres da localidade. O espaço, que será inaugurado neste sábado (27), às 16h, é resultado do projeto “Artesanato forte e sustentável”, uma das 54 iniciativas contempladas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE), por meio do Edital de Apoio aos Empreendimentos Solidários de Matriz Africana.

A inauguração do ponto comercial contará com desfile, apresentação da dança do pendengó e debate sobre a chamada pública da SETRE, voltada para a formação e o desenvolvimento de empreendimentos e redes de economia solidária no âmbito dos segmentos de matriz africana.

A iniciativa da SETRE tem como objetivo preservar a cultura local e o meio ambiente, por meio do desenvolvimento do artesanato regional, a partir da confecção de objetos com matérias-primas da região, como cipó, cabaça, palha de bananeira e tara de coqueiro

Com um aporte de mais de R$ 143 mil de recursos do Governo do Estado, o projeto “Artesanato Forte e Sustentável” foi desenvolvido na região pela Associação do Desenvolvimento Comunitário, Cultural, Educacional e Social do Quilombo de Rocinha.

Sobre a Rocinha – O povoado da Rocinha passou a ser um remanescente de quilombo, a partir de setembro de 2008, conforme certificado pela Fundação Cultural Palmares, sediada em Brasília. A localidade fica próximo a Itaguaçu (18 km da sede do município), onde residem mais de 500 pessoas. Seus primeiros moradores, segundo registro da Prefeitura Municipal de Livramento, teriam sido as famílias de Saturnino Pereira e Vicente Batista de Souza e o nome “Rocinha” teria origem nas roças de arroz, que eram abundantes na época.

Atualmente, a comunidade vive de culturas de subsistência e do fabrico artesanal de produtos como rapadura, doces, aguardente, além da fabricação de alimentos típicos, a partir da produção rural, e da produção de artesanatos, como cestas, vassouras, chapéus, esteiras, renda, crochê, e bordado. 

Em 2011 foi inaugurada a sede da Associação do Desenvolvimento Comunitário, Cultural, Educacional e Social do Quilombo de Rocinha, com apoio e incentivo da família de Antônio Alves Meira, antigo farmacêutico e benemérito da cidade de Livramento, falecido em 2014. Em homenagem à sua falecida esposa, o local recebeu o nome de Centro Cultural Nair de Castro Meira.