Extremo Oeste Baiano

Felipe Viterbo Qua , 29/09/2021 às 11:22 | Atualizado em: 29/09/2021 às 12:42

Família de médico morto em consultório na Bahia questiona versão apresentada sobre o crime



Familiares do médico pediatra Júlio Cesar de Queiroz Teixeira, de 44 anos, assasinado em seu consultório enquanto trabalhava na manhã da quinta-feira, 23, em Barra, no Oeste do estado, estão indignados com a conclusão das investigações da Polícia Civil da Bahia e contestam a versão apresentada sobre o crime.

Preso na última segunda-feira, 27, na mesma cidade, Jefferson Ferreira, o autor dos disparos, disse a polícia que o homicídio teria sido encomendado por R$ 4mil, por um homem que vingaria um suposto assédio sofrido por sua mulher.

A versão apresentada pelo assassino contradiz as acusações feitas pela família do médico, que afirma que o crime teria sido motivado após o pediatra alertar uma família sobre sinais de abuso sexual apresentados em criança atendida por ele. O caso teria ocorrido em 2016, no município de Buritirama, uma das cidades atendidas pelo profissional.

Segundo Geraldino Teixeira, irmão da vítima, a explicação apontada pelas autoridades é um desrespeito à memória do médico e fere os sentimentos da família. ‘Além de não terem sido localizados o mandante do crime e a mulher, não há registros de quando ou onde o assédio teria acontecido’, ressaltou Geraldino ao Portal A Tarde

Júlio César Teixeira foi atingido por quatro tiros, um deles na cabeça, enquanto trabalhava na quinta-feira, 23, em seu consultório da cidade de Barra, no interior da Bahia. Ele chegou a ser socorrido por funcionários da clínica e levado a um hospital da região mas não resistiu aos ferimentos.

O assassinato foi presenciado por sua esposa, que era enfermeira e o acompanhava durante os atendimentos, dois funcionários, além de uma criança e seu responsável.

Mais novo de três irmãos, o médico, natural de Xique-Xique, deixa dois filhos, de 5 e 8 anos de idade.

Uma missa de sétimo dia aconteceu na manhã desta quarta-feira, 29, às 7h, na Igreja Matriz de Xique-Xique seguida por uma manifestação silenciosa por parte de populares. Acontece ainda, nesta quarta, uma segunda missa em homenagem ao médico no Santuário Nossa Senhora de Fátima, às 19h, no bairro do Garcia, em Salvador.