Miriam Hermes Qui , 25/11/2021 às 06:02

Turismo baiano aposta em um verão no ritmo de pré-pandemia



O verão 21/22 se aproxima com a perspectiva de um movimento de turistas que recupere o ritmo vivido antes de começar a pandemia da Covid-19, considerando que a atividade é fundamental para geração de empregos e renda nos lugares estruturados para este fim.

Com opções que vão de praias a montanhas com as mais lindas paisagens, trilhas a esportes radicais e náuticos, lugares históricos e religiosos, turismo rural e gastronomia, dentre outros, a Bahia é um dos principais destinos brasileiros.

A esperança do setor, um dos mais atingidos pelas restrições implementadas desde março de 2020, é que a demanda reprimida no período se concretize nos próximos meses, que o custo do dólar incentive viagens internas e estimule a vinda de estrangeiros.

O estado tem 133 municípios classificados pelo Ministério do Turismo, listados no Mapa do Turismo Brasileiro, em 13 regiões distintas, com outros ainda pleiteando o reconhecimento, de acordo com o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacelar.

Ele destacou que no período que a atividade ficou parada, atendendo aos decretos que visavam evitar a disseminação do novo coronavírus, foi criada uma equipe de trabalho com participação de outras secretarias do Estado, prefeituras e instituições.

“Traçamos o plano de retomada Viva Turismo Bahia, baseado em quatro eixos básicos, abrangendo a biossegurança, capacitação/qualificação, infraestrutura e promoção dos atrativos dentro e fora do Brasil”, disse, salientando que muitas ações estão em andamento para fomentar a atividade, pela sua importância para a economia e desenvolvimento das comunidades envolvidas.

Trancoso é um dos destinos mais cobiçados do sul da Bahia | Foto: João Cordeiro | Prefeitura Porto Seguro | 7.1.2018
Trancoso é um dos destinos mais cobiçados do sul da Bahia | Foto: João Cordeiro | Prefeitura Porto Seguro | 7.1.2018

Engajamento das regiões

Neste sentido estão programados eventos nas 13 zonas turísticas já implementadas no estado. “O primeiro foi em Alagoinhas, na zona Caminhos do Sertão”, afirmou Bacelar, pontuando a perspectiva de até o início de janeiro de 2022 estar com todas as regiões engajadas no processo.

Para ele, é fundamental ainda que em cada região estruturada para receber visitantes sejam estimuladas atividades diversas como congressos científicos, encontros religiosos, concursos gastronômicos, festivais artístico-culturais, eventos esportivos e literários, dentre outros, que atraem um público diversificado e novo, “que conhece o lugar e geralmente volta para passar férias com familiares ou amigos”.

O turismo rural, com lugares organizados como atrativo vendido pelas agências de turismo, é outra modalidade com menos visibilidade, mas que atrai um turista preocupado com a sustentabilidade e disposto a conhecer lugares produtivos.

O modelo já tem boa aceitação na região da Costa do Cacau, com visitas a fazendas e demais elos até a produção do chocolate. Também em Porto Seguro, na Chapada Diamantina e na região do polo de fruticultura de Juazeiro.

Novidade para este verão, o secretário anunciou uma parceria firmada entre os governos da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco, para fomentar o destino cânions do São Francisco. Para isso, um voo da Azul terá conexão para Paulo Afonso, com início previsto para dezembro.

Entre os novos destinos do estado, Bacelar citou também o potencial da zona turística ‘Caminhos do Oeste’, que tem, além de paisagens bonitas e aptidão para trilhas e esportes radicais, “a possibilidade de reforçar o turismo de negócios e promover o turismo rural”.