Sul Baiano

Da Redação Sex , 22/10/2021 às 07:16 | Atualizado em: 27/10/2021 às 15:26

Índice Firjan aponta que gestão fiscal de Itabuna é crítica



O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado nesta quinta-feira, 21, aponta que a situação fiscal no município de Itabuna, no Sul da Bahia, é crítica. O índice Firjan de Desenvolvimento Municipal é um estudo que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de cinco mil municípios brasileiros, em três áreas de atuação: Emprego e Renda, Educação e Saúde. Itabuna atingiu 0.3516 na média geral e ocupa a 4.211ª posição nacional e a 229ª a nível estadual.

No estudo, feito pela Firjan, foram avaliadas 381 das 417 cidades da Bahia. Dentro da pontuação, que varia de zero a um, os municípios atingiram 0,4076 ponto, o que mostra pontuação 25,3% inferior à nacional que chegou a 0,5456.

Os dados se referem à gestão passada, do prefeito Fernando Gomes (2017-2020).

O IFGF é composto pelos indicadores de autonomia, gastos com pessoal, liquidez e investimentos. Após a análise de cada item, os municípios são classificados em um dos conceitos do estudo: gestão crítica (resultados inferiores a 0,4 ponto), gestão em dificuldade (resultados entre 0,4 e 0,6 ponto), boa gestão (resultados entre 0,6 e 0,8 ponto) e gestão de excelência (resultados superiores a 0,8 ponto).

Em março deste ano, a prefeitura decretou estado de calamidade pública por causa da pandemia. O prazo para o decreto publicado á época, no Diário Ofical do municípo, foi de 180 dias. De acordo com o texto, os órgãos e entidades da administração pública municipal passariam a adotar medidas necessárias ao enfrentamento do estado de calamidade pública. Com isso, a Prefeitura de Itabuna não precisaria seguir à risca as metas fiscais previstas em lei, além de que poderia realizar contratos sem licitação, o que atualmente já está sem validade.