Vale do São Francisco

Claudia Lessa Sex , 22/02/2019 às 16:02 | Atualizado em: 23/02/2019 às 09:04

Empório da Agricultura Familiar será implantado na Orla de Juazeiro



Um convênio entre o governo do Estado e a Central de Comercialização das Cooperativas da Caatinga (CECAAT) para a construção de um empório da Agricultura Familiar, em Juazeiro, foi assinado nesta sexta-feira (22). O investimento feito por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado (SDR), é de R$1,8 milhão e irá beneficiar 1.500 famílias. A previsão de conclusão das obras do empório é junho de 2019.

O empório, que será construído na orla do município, contará com espaços para supermercados, restaurantes, lanchonete e feira de produtos orgânicos, além de auditório para capacitação. A ação integra a estratégia da CAR/SDR, por meio do projeto Pró-Semiárido, para dar maior visibilidade e acesso da população aos produtos da Agricultura Familiar, viabilizando e consolidando mais uma rede de comercialização.

O secretário interino da SDR, Jeandro Ribeiro, explicou que, dentre as estratégias da secretaria, a comercialização é um dos principais vetores de atuação. “A ideia é concentrar em Juazeiro a venda dos produtos da Agricultura Familiar do Território do Sertão de São Francisco, enxergando todas as variáveis possíveis, tanto para o mercado institucional, que é a alimentação escolar e aquisição de alimentos, como também por varejo e mercado consumidor, além do turismo de Juazeiro e Petrolina”.

A importância da iniciativa no sentido de ajudar a consolidar a Agricultura Familiar como polo de desenvolvimento econômico e gastronômico foi destacada pelo diretor-presidente da CAR, Wilson Dias. “O Governo do Estado está fazendo um conjunto de investimentos que fortalece não só a base de produção, mas também a assistência técnica e as estruturas de beneficiamento e comercialização. A Agricultura Familiar precisa se profissionalizar. E temos que agregar valor, fazer com que os produtos ocupem as prateleiras dos supermercados. Com isso, a gente bota a roda da Economia para funcionar. Na medida que a gente tem mais produção, tem mais produtos sendo comercializados e mais riqueza circulando no próprio município”.